Decorreu no 22 de outubro o VIII Encontro das Jornadas “Envelhecer +”, na Biblioteca Municipal de Espinho.

Nesta sessão a temática abordada foi “Envelhecimento Ativo e Saudável” e estiveram presentes a Dra. Isabel Saraiva (Médica Coordenadora da UCSP Espinho), a Dra. Liliana Ferreira (Animadora Sociocultural do CS de Paramos), o Prof. Dr. António Faria e a D. Carmem Moutinho (Universidade Sénior de Espinho). Desde já, o nosso sincero agradecimento pela disponibilidade e excelência dos testemunhos.

Cerci 1

Principais reflexões:

- Foram abordados os tópicos adjacentes a um envelhecimento ativo (saúde independência, autonomia e respeito pelo próprio e pelos outros) e as suas vertentes (autonomia, aprendizagem para conservação de capacidades cognitivas e manter-se ativo);

- As principais alterações estruturais, funcionais e emocionais no processo fisiológico do envelhecimento, assim como, os principais problemas de saúde (demências, delírios, depressões, imobilidade, instabilidade postural e incontinência urinária);

- As principais formas de prevenir a doença e demência, através do exercício físico e intelectual, de hábitos alimentares saudáveis e de estimulação social;

- No que concerne ao exercício físico, foi destacado o papel crucial da hidroterapia como facilitador do equilíbrio, força e dor, assim como, a importância do yoga no mantimento do equilíbrio;

- Relativamente ao exercício intelectual, a importância da estimulação cognitiva através de jogos didáticos;

- No que diz respeito à estimulação social, o papel crucial da aprendizagem, convívio e partilha, como prevenção do isolamento social;

- A importância do sono, o “dormir bem” como prevenção de diversas doenças;

- As principais caraterísticas do envelhecimento (individualidade e diversidade) e o repensar de modelos de assistência e intervenção junto da população idosa;

- O papel crucial das instituições com respostas de apoio à Terceira Idade;

- A animação na Terceira Idade como facilitadora do acesso a uma vida mais ativa, criativa, autónoma e social, através da participação, envolvimento e valorização do idoso na sociedade e comunidade, respeitando sempre os interesses do mesmo;

- Destaque de algumas estratégias de animação para um envelhecimento ativo, positivo e de qualidade;

Dinâmicas de grupo colocadas em prática pela animadora sociocultural:

- “A Teia”: as pessoas que quiseram participar formaram um   círculo e, com recurso a um novelo de lã, foram passando de uns para os outros, sendo que cada pessoa com o novelo de lã na mão apresentou-se e disse o que mais gostava de fazer na vida.

- “Rimar ou Cantar”: algumas pessoas retiraram um cartão de um saco e quando o cartão continha uma imagem, evocaram uma palavra que rimasse com a mesma; quando o cartão continha uma palavra, cantaram um pouco de uma música que se lembraram que contivesse na letra essa mesma palavra.

- “Dançar”: as pessoas que quiseram participar levantaram-se e dançaram ao som da música “Chu chu au” seguindo os gestos da Dra. Liliana.

“Saber envelhecer é a obra-prima da sabedoria e uma das mais difíceis tarefas na grande arte de viver.”

Neste encontro contamos com a presença de mais de 44 participantes, respondendo 34 participantes ao questionário sobre a importância e a qualidade desta intervenção.

Os resultados indicam um grau de satisfação geral de 96% (gráfico 1) demonstrando que estas ações continuam a revelar-se de extrema importância para a comunidade, tendo todos os objetivos sido atingidos.

Capturar



 

premios
 facebook  youtube

donativos

Cerciespinho
Cavi - Horizontes
Centro Comunitário